Entenda o TDAH – Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade

Entenda o TDAH, seus sintomas, tratamentos e causas. E atenção: ser criança é viver um mundo de descobertas, de imaginação e brincadeiras. Nessa fase é natural a criança ser mais dispersa e descompromissada, e por isso todo cuidado é pouco na hora de achar que seu filho possui TDAH, pois muitas vezes as pessoas exigem um padrão de comportamento dos pequenos achando que eles devem agir como adultos.

Share Button

Entenda o TDAH

 
 

Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH) , também chamado de DDA (Distúrbio do Déficit de Atenção) , é um transtorno neurobiológico, de causas genéticas, que surge na infância e acompanha o portador do mesmo pela vida toda. O TDAH é reconhecido pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e em alguns países já é lei garantir que os portadores desse transtorno recebam tratamento diferenciado nas escolas.

 

Esse déficit de atenção ocorre devido a uma deficiência cerebral na região frontal orbital, responsável pela atenção, que faz com que o individuo volte sua atenção para diferentes coisas ao mesmo tempo e tenha dificuldade em focar em algo só por certo tempo. E a hiperatividade é quando a pessoa não consegue parar quieta, como dizem por aí “vive no mundo da lua”. Já deu para notar que essas 4 letrinhas são complexas de entender e por isso estão dando o que falar, né? E é por isso que vamos tratar desse assunto em nosso blog: para garantir que vocês não fiquem com nenhuma dúvida a respeito do TDAH e entendam seus reais sintomas.

 

Para diagnosticar se uma criança tem ou não tem TDAH é preciso que ela seja atendida por um psiquiatra, mas antes disso são os pais que precisam estar atentos ao comportamento do filho. Para chegar a uma conclusão, o psiquiatra não fará nenhum exame laboratorial, pelo contrário, ele precisará conversar muito com os pais e com a criança, levando em conta o histórico familiar e o contexto no qual a criança vive, será preciso verificar como a criança se comporta em diferentes ambientes, como escola, casa e afins.

 

Conheça os principais sintomas do TDAH

 

Ser criança é viver um mundo de descobertas, de imaginação e brincadeiras. Nessa fase é natural a criança ser mais dispersa e descompromissada, e por isso todo cuidado é pouco na hora de achar que seu filho possui TDAH, pois muitas vezes as pessoas exigem um padrão de comportamento dos pequenos achando que eles devem agir como adultos.

 
• Desatenção
 

Dificuldade de focar em algo e se concentrar. Isso pode ser notado através de problemas escolares, falta de organização, atenção prejudicada facilmente e dificuldade para ficar quieto. Cometer erros por descuido nas tarefas escolares. Evitar participar de brincadeiras ou tarefas que exijam esforço mental prolongado. Perder objetos com frequência. A criança também pode não escutar quando falam com ela por estar focada em outras coisas.

 
• Hiperatividade
 

Ficar inquieto quando está sentado, mexendo pés e mãos ou se contorcendo. Levantar muitas vezes na sala de aula. Correr e subir em locais onde é inapropriado. Não conseguir permanecer por muito tempo em brincadeiras mais tranquilas. Falar demais. Ter dificuldade em esperar sua vez. Interromper ou se intrometer em conversar e atividades alheias.

 

Se a criança apresentar seis ou mais desses sintomas, por mais de seis meses, é aconselhável procurar um especialista para fazer o diagnóstico. Os profissionais indicados nesses casos são: psiquiatras em primeiro lugar, mas (neuro)pediatras e neurologistas também podem estar capacitados para tal. Ao detectar o transtorno, o médico deverá determinar seu subtipo, nível de remissão e gravidade do transtorno.

 

Causas do TDAH

 
• Hereditariedade: Os fatores genéticos são importantes para diagnosticar o TDAH, pois pesquisas comprovam que é bem maior a ocorrência do transtorno em pessoas que possuam antecedentes com o mesmo problema na família.

 
• Gravidez: ingerir nicotina e/ou álcool durante a gravidez pode causar alterações no cérebro do bebê, incluindo a região frontal orbital. De acordo com pesquisas, filhos de mães alcoólatras possuem mais chance de possuir hiperatividade e desatenção.

 

Tratamento e medicamentos

É possível seguir uma vida normal e amenizar o sintomas do TDAH e assim viver com mais qualidade e saudável, para isso um tratamento indicado pelo especialista será recomendado. Que pode ser psicoterapia, suporte educacional, psicoeducação familiar e até medicamentos.

 

Para os familiares será importante ler bastante sobre o assunto, participar de palestras e encontros com profissionais e pesquisados da área, para assim aprenderem a lidar com os sintomas, trocarem experiências e receber dicas de como lidar com a criança.

 

Já existem drogas com efeitos psicoestimulantes aprovadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária, como o Metilfenidato (MPH) e o Dimesilato de Lisdexanfetamina, que possuem eficácia comprovada no tratamento de TDAH.

 

Convivendo com o TDAH

 

O suporte da família é essencial ao tratamento do TDAH, elogiando, reconhecendo e valorizando os que as crianças possuem e fazem de bom, isso irá aumentar a autoestima dela. Castigar e repreender a criança o tempo todo é muito prejudicial.

 

Acompanhamento psicopedagógico e reforço escolar serão importantes. A escola precisar oferecer um suporte aos seus alunos que tiverem TDAH e tratá-los com mais paciência e cuidado.

 

Dicas para conviver melhor:

 
• Estabelecer limites e regras;
• Ser paciente e amoroso;
• Incentivar e elogiar a criança sempre que ela cumprir com o que lhe foi solicitado;
• Passar mais tempo com a criança;
• Ensinar o pequeno a se organizar melhor;
• Falar com ele olho no olho e devagar para que ele entenda bem o que você está dizendo;
• Não gritar;
• Leia muito a respeito.

 
 
Fontes: Minha Vida e TDAH.org.
 
 

Share Button