6 dicas para fazer o desfralde

Para muitas mamães a fase do desfralde pode gerar muita ansiedade, mas nós temos algumas dicas para que você passe com honras. Essa época pode demorar alguns meses ou até 2 anos, e acaba gerando muitas dúvidas, principalmente em mamães de primeira viagem. Mas não precisa ficar preocupada antes da hora. Saiba quais são os cuidados que precisará tomar antes, durante e depois de tirar a fralda do seu filho.

Share Button

6 dicas para fazer o desfralde

Os especialistas ainda não chegaram a um consenso de quando deve ser feito o desfralde da criança. Alguns dizem que não deve ser feito antes dos dois ou três anos de idade do pequeno, enquanto outros dizem que não há idade certa. Uma dica para ter certeza do momento ideal para iniciar o desfralde é quando o pequeno começar a te avisar que está fazendo xixi ou cocô, ou quando perceber que ele vai para um cantinho especial da casa quando quer fazer suas necessidades.

Agora que você já sabe quando começar o desfralde saiba que, ao iniciar o processo, é muito importante conversar com a criança para que ela saiba que essa é uma fase importante no desenvolvimento da criança. Explique para ela que a fase de bebê já passou e que o desfralde significa que ela já é uma criança grande. Se você não souber como abordar o assunto, saiba que usar histórias e desenhos é uma ótima alternativa.

1. Prepare o terreno

Tenha em mente que durante o desfralde o pequeno vai sujar muitas cuecas ou calcinhas, vai molhar o colchão, a roupa de cama e tudo isso terá que ser lavado, por questões de higiene. Por isso, é bacana investir em mais roupas íntimas e ter sempre trocas de roupas (para a criança e para a cama) prontas.

Algumas mamães já possuem suas misturinhas mágicas para ajudar na hora da limpeza. Você pode fazer a sua como quiser e não tenha receio de recorrer a sua mãe nessa hora. Ela provavelmente deve ter uma receita que é “batata” para tirar o cheiro de xixi!

Opte pelo uso de troninhos no começo do desfralde, assim a criança fica mais a vontade com o novo objeto, que é feito proporcionalmente para ela. Deixe que ela o leve para todos os cantos da casa. E quando ela já estiver mais acostumada à situação, o adaptador de assento é o próximo passo.

Dica: você pode levar seu filho junto para escolher o troninho ou surpreendê-lo como se fosse um presente. Vale até embrulhar em papel especial!

banner1_dica1_pijamabanner1_dica2_roupacama

2. Primeiro o dia

O desfralde sempre deve começar pelo período diurno, já que é mais fácil de controlar quando a criança vai ao banheiro. Tente vesti-la com roupas mais leves e mais fáceis de serem abaixadas na ida ao troninho. No começo será necessário perguntar para ela se está com vontade de fazer xixi ou cocô e ser um pouquinho insistente, pois  nessa fase a criança não consegue distinguir muito bem quando está com vontade, e em muitos casos ela pode responder que não quer de primeira, mas acabar fazendo na roupa. Portanto, se você notar que já faz um tempinho desde a última ida ao troninho peça para se sentar um pouquinho nele e aguarde alguns segundos, se o xixi não acontecer em poucos segundos é porque ela não está com vontade, sendo assim, deixe que ela volte a brincar e tente novamente mais tarde. Não tente intimidar a criança nas idas ao troninho, isso pode fazer com que ela não consiga se controlar e o desfralde pode demorar mais tempo do que o esperado.

Importante: uma vez que tirar a fralda, não vale colocar de novo. Isso pode criar confusão e a criança fica sem saber o que está acontecendo.

banner2_dica1_roupinhasbanner2_dica2_troninho

3. Depois, à noite

Quando a criança já estiver acostumada a ficar sem fralda durante o dia, é hora de começar o desfralde durante a noite. Essa fase é um pouco mais complicada que a anterior. Uma sugestão é evitar dar muitos líquidos perto da hora de dormir e acordar algumas vezes durante a noite para se certificar que seu filho não esteja com vontade de fazer suas necessidades.

Outra coisa importante é ter em mente que, mesmo estando acostumado a cambalear até o banheiro de madrugada, ele pode deixar o xixi escapar em uma noite. E isso não quer dizer que ele sempre fará isso, mas sim que acidentes acontecem.

4. Meninos

Para a criança é um grande esforço ter que controlar quando ela está com vontade de fazer xixi ou cocô. Por isso, para os meninos, o desfralde deve acontecer do mesmo jeito que as meninas. Primeiro, ele precisa acostumar a fazer as necessidades no lugar certo, sentado e só depois que deve ser ensinado a fazer xixi em pé.

Misturar o controle da bexiga com a mira no troninho pode confundir o pequeno e acabar desestimulando seu aprendizado. Sendo assim, o indicado é deixar que ele aprenda o básico primeiro, para depois ir para o avançado.

5. Honra ao mérito

Cada família tem seu estilo para criar seus filhos e, por isso, parabenizar a criança por ter conseguido ir ao banheiro sozinha divide opiniões. Há quem diga que é necessário fazer uma grande comemoração e há quem prefira apenas por dizer um “muito bem”. Se você está na dúvida, teste as duas opções e veja como o pequeno reage em cada situação. Caso você perceba que a criança não se sente estimulada com um “muito bem”, faça uma algazarra quando ela cumprir o objetivo. Mas, se ela fica assustada quando a festa é demais, procure maneirar. Não dê broncas quando acontecer algum escape, porque isso pode comprometer todo o processo. Nesse momento o ideal é conversar com ela e explicar que as necessidades são feitas no troninho ou no banheiro. O desfralde precisa ser uma experiência agradável para seu filho e não traumática.

6. Paciência

Tenha paciência sempre! Procure sempre incentivar, não demonstrar cansaço, além de transmitir segurança e confiança para seu filho em todos os momentos. Não é possível prever quanto tempo esse processo vai demorar, por isso você não deve ficar frustrada se estiver demorando mais tempo que o filho do vizinho, pois cada criança se desenvolve em um tempo diferente e pode ser que seu pequeno aprenda bem rápido que deve avisar que está com vontade de ir ao banheiro ou que ele demore um pouco mais.

Dica:como em todas as fases da vida do seu filho, os pais são o porto seguro deles. E, quando você transmite que está tudo bem, ele fica mais seguro.

 

Share Button