Dia do Saci ou Halloween?

O Folclore brasileiro pode te ajudar na educação dos pequenos

Share Button
dia do saci ou halloween
Foto: Tricae

Com o intuito de fortalecer o Folclore brasileiro, o dia 31 de outubro ganhou o Dia do Saci para contrapor o Halloween, de tradição celta. Conversamos com experts no assunto para entender a importância dessas tradições culturais e como gerar conhecimento a partir delas.

Jornalista, pesquisadora e autora de diversos livros, entre eles o Abecedário de Personagens do Folclore Brasileiro, Januária Cristina Alves acha necessário fazer o contraponto e enaltecer a nossa cultura através das lendas como o Saci, por exemplo. Ela não vê problemas em falar do Halloween, viu? Nem o pesquisador, ilustrador e autor de dezenas de livros infantis, Ricardo Azevedo.

Por isso, não precisa ter medo de assombrar todo mundo por aí com a sua fantasia de Drácula, mas vale a pena descobrir os seres fantásticos que vivem nas terras verde-e-amarelo. 😛

Medo de lá, medo de cá

Você já ouviu falar em Janaí, Bradador e Gato Preto? Esses são, nada mais, nada menos, que o vampiro, a múmia e bruxa brasileiros. Mas nem só de sustos vive o Folclore nacional!

Diversas brincadeiras são expressões da tradição popular e dizem muito do aglomerado de informações que recebemos de diversas partes do mundo. Januária aposta nelas para deixar a memória viva nas crianças. “A escola cuida disso quando elas são pequenas, seja brincando de ciranda, roda ou cantigas de ninar”, explica.

O que é, o que é?

Há uma cultura oral alastrada e, consequentemente, uma cultura popular viva, forte e fértil. “No caso de pessoas vinculadas à tradição oral, a grande maioria no Brasil, isso é fundamental”, afirma Ricardo. “Os pais que sabem contos, ditados e quadras devem contá-los aos filhos. Essas narrativas ficam na memória e, embora sejam mágicas, tratam de assuntos da vida concreta”, reforça o historiador.

Ao entrar em contato com um dito popular a partir de diferentes fontes, seja na escola, com os amigos ou em casa, a criança assimila melhor as tradições. “Talvez abra a boca espantada e pense: ‘Peraí! Meus pais conhecem isso! Isso eu já ouvi! Faz sentido pra mim!”, finaliza.

Por isso, a dica é incentivar as tradições populares: de contos até as brincadeiras com palavras como, por exemplo, a língua do P. Treine o ouvido! 😉

O Folclore brasileiro pode te ajudar na missão de incentivar a leitura e a imaginação. Que tal uma mãozinha do acervo da cultura popular para formar leitores? Explore-o com os pequenos durante o processo de aprendizado.

Outra alternativa é abraçar o “Meu aplicativo de Folclore”, criado por Ricardo. Nele, seis etapas levam o usuário numa viagem por meio de trava-línguas, ditados, adivinhas e contos. O escritor acredita que a riqueza da cultura popular brasileira pode estar aliada ao mundo digital. Está aí um ponto positivo para a educação da criançada.

Share Button