Concentração x estímulo

A correria do dia-a-dia da vida de mamães e papais está afetando os pequenos. Os adultos tentam suprir sua ausência preenchendo o tempo dos filhos com várias atividades durante o dia, e assim eles acabam por perder algo muito importante na vida de qualquer pessoa: a concentração. Veja as dicas de como estimular seu filho sem sobrecarregá-lo e saiba como viver em equilíbrio.

Share Button

O que há muito tempo se ouve falar é que a vida está muito corrida e que ninguém tem tempo para nada. E não podemos negar, pois essa é a realidade de muitas famílias brasileiras que trabalham o dia inteiro para oferecer ao filho tudo o que há de melhor. Porém, toda essa correria é transmitida para as crianças, que ficam cada vez mais ansiosas e com uma rotina atribulada.

 

Essa vida sem pausa interfere totalmente na vida do pequeno também. Afinal ele todos os dias recebe diversos estímulos vindos de todos os lados, sejam visuais, sonoros ou físicos. E o excesso deles afeta a capacidade de concentração da criança, que fica sem saber o que fazer ou pensar.

 

Para lidar com isso cada família encontra uma maneira de suprir a falta dos pais em casa. Algumas se apoiam em aparelhos eletrônicos, em parentes ou babás, e outras preferem ocupar a criança com atividades extra-curriculares, acreditando que elas não notarão a ausência dos pais. Porém devemos ter muito cuidado e não empurra-las em várias direções.

 

A tecnologia

Uma cena tem se tornado muito comum nas casas: a criança segura um tablet, assistindo desenhos, enquanto alguém dá comida na boca dela. O tablet provavelmente é dela, mesmo que não tenha idade suficiente para possuir algo tão tecnológico, e ela tem a capacidade de comer sozinha, mas não foi ensinada ou tem preguiça. Em outras situações, a TV também está ligada, mas ela prefere acompanhar o que está acontecendo no aparelho em suas mãos. Toda sua concentração está voltada para a animação e ela nem percebe o que acontece a sua volta.

 

A tecnologia pode ser uma aliada à educação dos pequenos e não precisa ser um inimigo ou banida completamente. Hoje existem diversos aplicativos que ensinam e estimulam a criança positivamente. Uma rápida busca na internet vai apontar jogos e vídeos que entretem e educam ao mesmo tempo.

 

As atividades extra-curriculares

Já que tecnologia demais atrapalha, que tal preencher o tempo da criança matriculando-a em atividades extra-curriculares? Opa, muita calma nessa hora! Não acredite que matriculando seu filho em diversas atividades extras ele estará melhor, porque não haverá o contato com a tecnologia o tempo todo. Mesmo sendo bacana ele saber falar três línguas, tocar violão e nadar como um atleta profissional, as crianças também precisam descansar.

 

Não precisamos esgotar cada gota de energia da criança durante o dia. O ideal é evitar que o pequeno se canse e deixe de fazer o que gosta. Por exemplo: se você perceber que o judô não está trazendo alegria, não adianta insistir que ele vá. Portanto, a dica é pensar bem qual a melhor atividade para seu filho e nada melhor do que perguntar para o pequeno o que ele gostaria de fazer.

 

Muita calma nessa hora

Praticar muitas atividades ao mesmo tempo ou sem pausas entre uma e outra faz com que o pequeno não consiga se concentrar integralmente em nenhuma delas e acabar por não fazer nenhuma delas tão bem quanto poderia.

 

A palavra-chave nessas horas é equilíbrio. Estímulos são muito bem-vindos, mas também precisam de moderação. O ideal é que a criança use a concentração para terminar o que está fazendo e passe para outra tarefa depois que terminar a primeira.
Se a criança faz muitas atividades durante a semana, aproveite o final de semana para descansar e se divertir. Isso vai fazer bem para ela e toda a família. Procure por passeios bacanas, exposições, peças de teatro e filmes infantis que estejam acontecendo na sua região. Vale também ficar de preguiça em casa, conversar, brincar… Enfim, aproveitem para relaxar.

Fontes: Cientista que virou mãe e Pais que educam.

Share Button