Fortaleça os vínculos entre irmãos

Lidar com conflitos entre si é o primeiro exercício de relacionamento das crianças

Share Button
vínculos entre irmãos
Foto: Shutterstock

Irmãos são todos iguais, certo? Errado! Cada um tem sua personalidade, seus gostos e suas dificuldades. Antes de mais nada, é preciso saber que os vínculos entre irmãos ocupa um lugar importante no aprendizado sobre a convivência social e grupal.

Segundo a psicanalista Denise Feliciano, a relação é um modelo que auxilia a criança a desenvolver instrumentos para lidar com seus conflitos internos e com os outros. “As disputas entre irmãos inauguram a capacidade de se relacionar entre pares”, afirma.

Vínculos entre irmãos

Como lidar com os conflitos

É fundamental que os pais intervenham em situações de conflito para não deixar que os pequenos se sintam desamparados. Mas não atue mais do que o necessário: há o risco de  impedir que eles encontrem suas próprias soluções.

Muitas vezes, os conflitos são consequência do sentimento de ciúme em relação aos pais, seus primeiros modelos de relacionamento. “Sentir ciúme faz parte da capacidade humana de amar e construir vínculos significativos. A total ausência desse sentimento deve ser motivo de atenção”, comenta a profissional.

Por isso, saber que o ciúme é saudável pode ajudar os pais a se tranquilizarem diante dos conflitos que assistem frequentemente entre os filhos, e permitir que experimentem modos de os solucionarem.

“Lidar com os sentimentos ajuda a perceber que a raiva não dura para sempre e que o amor impõe a necessidade de buscar meios de reconciliação. As crianças precisam ter a experiência de sentir para compreender a emoção de modo verdadeiro”, arremata Denise.

Pensando no futuro

Manter as crianças num mundo somente com expressões de amor e carinho acaba sendo um grande prejuízo para a vida emocional delas por ser uma ideia falsa da vida.

Em famílias de pais separados, por vezes os filhos têm que aprender a conviver com irmãos que não são de sangue. Mas o que é que tem? Encare de frente!

Siga a linha de raciocínio. É importante considerar que além das questões comuns de irmãos, podem somar-se ciúme e estranheza em relação aos novos parceiros dos pais. Não tenha pressa de que os filhos se tornem amigos.

A dica é dialogar e permitir que eles construam gradativamente um relacionamento de amizade ou cordialidade: aceite qualquer opção como legítima. Com sorte, contribua para o fortalecimento do amor e união entre os irmãos. Passe-livre para uma longa amizade. Deixe-os descobrir 😉

Share Button