Nem para menina, nem para menino. Brinquedos são para crianças!

Por que a cozinha de brinquedo é sempre rosa e na embalagem tem uma menina brincando e não um menino? Por que nos comercias de brinquedos de construção ou de pistas de carrinho só tem menino brincando? Por que menina tem que usar rosa e menino azul? Uma marca de brinquedos lançou seu novo catálogo e colocou à tona essa importante discussão, entenda!

Share Button

Por que a cozinha de brinquedo é sempre rosa e na embalagem tem uma menina brincando e não um menino? Por que nos comercias de brinquedos de construção ou de pistas de carrinho só tem menino brincando? Por que menina tem que usar rosa e menino azul? Os questionamentos são muitos e fazem parte de uma importante e antiga discussão sobre as divisões de gêneros na hora de fabricar produtos, neste caso infantis. Tudo isso veio à tona depois que uma marca lançou seu novo catálogo de produtos.


para menina e menino boy peq- tricaeA repercussão, de nível mundial, aconteceu por que a marca Top-Toy não fez distinção de gênero nas fotos
de seu catálogo, ou seja, tem menina brincando de carrinho, menino brincando de casinha e vice-versa. Todos os brinquedos já existiam em sua linha, porém desta vez foram fotografados com meninos e meninas brincando, não importando se eram rosa ou azul, nem se eram uma cozinha ou um castelo de piratas.

O diretor de Marketing, Thomas Meng, da empresa Top-Toy explica. “Queremos que nossos catálogos reflitam a verdadeira forma de brincar de meninos e meninas, e não que apresentem uma visão estereotipada deles. Se tanto as meninas como os meninos na Suécia gostam de se divertir com uma cozinha de brinquedo, então queremos refletir esse padrão”. Segundo a empresa, a maioria dos pais aprovaram a nova campanha, pois seus filhos ficam felizes quando ganham brinquedos, independente do modelo. E a revolução não foi só no catálogo, as lojas da rede também foram reformuladas e hoje não há mais divisão entre coisas de meninas e meninos, tudo foi reformulado para que não haja mais distinção de gênero. O novo discurso da marca é de que seus brinquedos não são para menino ou para menina, e sim de que brinquedos são para crianças.
No catálogo as fotos são bem coloridas e atrativas, tem foto de meninos brincando de cabeleireiro e bonecas com amiguinhas, e de meninas brincando com pistolas de água e carrinho com os garotos. Confira algumas:

para menina e menino - tricae


Não é surpresa que tenha sido uma empresa suéca a ter essa iniciativa, afinal quando se trata desse assunto a Suécia é um dos países mais progressistas do mundo. Por lá o tema sobre a neutralidade de gênero já deixou de ser tabu, inclusive já existe uma pré-escola que não faz nenhuma distinção de sexo, nem mesmo no banheiro, e na biblioteca da escola não tem história da Cinderela ou da Bela Adormecida, muito pelo contrário, seus livros infantis tratam de temas como mães solteiras, crianças adotadas e casais homossexuais, como na historinha em que um casal de girafas macho está triste por não ter filhos, mas se deparam com um ovo de crocodilo abandonado e o adotam. Alguns pais acreditam que a escola foi longe demais, já outros acreditam que esse seja o caminho correto para um mundo mais igualitário. Os métodos por lá dividem opiniões, mas a lista de espera para estudar nessa escola é bem grande.
Os esteriótipos sobre o que meninas e meninos devem gostar estão presentes não só na hora da brincadeira, mas na hora de se vestir, nos estudos e futuramente na profissão que forem escolher. Diferente da escola suéca o mais comum são escolas que oferecem aulas de judô para os meninos e ballet para as meninas, ao invés de deixar que as crianças optem pelo que preferem praticar, ela são induzidas ao que devem ou não fazer. Nem todo pai gosta de ver sua filha brincando com um caminhão ou seu filho brincando de casinha, mas para as crianças ambos são apenas brinquedos. Quem denomina se um brinquedo é de menina ou de menino são os adultos.
Se seu filho gosta de brincar de boneca isso não significa nada além da vontade do mesmo de cuidar de alguém menor, o que muitas vezes acontece quando ele tem um irmão ou irmã mais velha que cuida dele, se ele vê o pai ajudando a mãe na cozinha ou trocando a fralda do irmãozinho é natural que ele siga isso como exemplo, e um ótimo exemplo por sinal, afinal hoje em dia os casais dividem as funções de cuidar da casa e dos filhos. E mesmo que não seja apenas uma brincadeira, mas um sinal da opção sexual da criança, o papel dos pais é de não censurar a criança e sim ajudá-la no que for possível, para que ela cresça em um ambiente saudável e sem preconceitos.
E para as mamães e papais que lêem nosso blog, qual é a opinião de vocês? Contem pra gente!
*Imagens do catálogo: © TOP-TOY

**Foto (menino com boneca) de Pink Sherbet Photography

Share Button