Facebook Live de Dia dos Pais

Papais digital influencers falam sobre seus filhos e o aprendizado mútuo da paternidade

Share Button
Live de dia dos pais
Foto: Tricae

No dia 08 de agosto, a Tricae organizou a Live de Dia dos Pais em parceria com a Youse para falar da paternidade. O Fernando, mais conhecido nas redes sociais como Papai Comédia, se juntou ao Thiago Queiroz (Paizinho, Vírgula), Eduardo Costa (Pai das Marias) e Marcos Piangers para bater um superpapo.

Os influencers falaram sobre a descoberta da gravidez, a construção e os tabus sobre paternidade ativa e machismo.

Até as contrações

A descoberta da gravidez deu a esses papais a iniciativa para começarem seus diários nas redes sociais sobre a vivência da relação com os pequenos da gestação à criação. Marcos Piangers, escritor do livro “O Papai É Pop” conta que ele pulou de alegria enquanto a mãe de Anita levou um susto. “Eu fiquei muito feliz. É muito mais difícil para a mulher porque ela passa por mudanças fisiológicas, sociais e profissionais que nós não passamos”. Para o pai do Gael e do Dante, de 2 e 4 anos, começar o site foi a saída para conversar sobre sua experiência. “No bar ninguém falar sobre isso”, diz Thiago.

Os papais enfatizaram a importância de mudar a rotina junto com a companheira. “Se minha esposa não podia beber, eu não ia. Não é porque eu não fico grávido que minha vida não vai mudar. Preciso sair mais cedo do trabalho para ir ao ultrassom. Essa parceria vai fazer toda a diferença e tem que começar na descoberta”, comenta o Paizinho, Vírgula.

Prisão emocional

Aquela velha história de que homem não chora afeta muito a relação dos homens com seus filhos. Para eles, existe uma prisão emocional na qual é proibido dizer que ama o pequeno ou deixá-lo brincar de boneca.

Educar uma menina necessita percepção, combate e explicação dos machismos diários. “Não existe esse papo de não conseguir mudar o mundo: educar o seu filho como agente transformador é uma pequena missão”, diz Piangers. Para o escritor da Pais e Filhos e influencer, os adultos impõem concepções às crianças que elas sequer assimilaram. “Pode brincar de boneca e usar cor de rosa, sim. O pai se emociona ao quebrar essa prisão e a desconstrução é nossa”, finaliza.

“Eu descobri que é preciso dar o exemplo: manter a casa e cuidar dos filhos efetivamente. Assim, eles não vão ter a referência negativa. Meus filhos têm bonecas em casa porque a melhor maneira de aprender a cuidar de alguém é brincando disso. Se você tem um menino, compre uma boneca para ele amanhã”, brinca Thiago, pai de dois meninos.

Papo vai, papo vem

Entre tantas questões relevantes, não é fácil ensinar outra pessoa a viver, certo? Ainda assim, a conclusão foi unânime: o aprendizado vale cada segundo! “Você não vai ver o seu filho fazer dois anos ou perder os dentes sempre”, arremata Marcos Piangers.
Gostou? Confira o vídeo na íntegra aqui e confira os dilemas e as soluções que esses papais engajados têm para dar.

 

 

Share Button