Brincar de bonecas, sim!

O brinquedo passado por gerações pode influenciar os pequenos mais do que você pensa

Share Button
importância de brincar de boneca
Foto: Shutterstock

A boneca é um brinquedo beeem mais antigo do que todas as vovós da família. Você sabia que a primeira versão do brinquedo é datada de 3000 A.C.? Ainda assim, nem todo mundo sabe a importância de brincar de bonecas no desenvolvimento infantil.

De acordo com a pedagoga Célia Serrão, professora da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), é importante lembrar que a brincadeira recria situações pelas quais a criança passa ou aquilo que está tentando entender. Assim, ela amplia sua visão sobre o mundo e constrói enredos com o que assimila.

*Preços sujeitos a alteração

A boneca no desenvolvimento infantil

Entre os brinquedos queridos da criançada, a boneca é representação simbólica do ser humano e permite brincar de mãe, irmã mais velha, tal como pai, irmão, avôs, titios, professores e etc. “Se a criança recria o que vive, ela recria também o afeto que recebe e assume o papel de cuidadora de bebês” revela a pedagoga. É por meio da boneca que se dá um dos primeiros contatos para exercitar as noções de afeto. Assim, percebe que pode cuidar e simula o conforto que recebe em um abraço. Todo esse processo pode levar a estreitar as relações de cuidado e respeito no futuro. Legal, né?

Célia salientou o caráter agênero da brincadeira. “Isso não tem a ver com ser de menino ou de menina”. Por isso, não repreenda os pequenos! Muitos meninos se identificam ou criam um laço maior com a boneca do que com um carrinho, enquanto o inverso pode acontecer com as meninas. Todos os brinquedos são importantes no desenvolvimento da criança.

*Preços sujeitos a alteração

Esteja presente

Acompanhe a criança no processo da brincadeira. Essa pode ser uma forma de saber o que ela sente e até mesmo perceber algum problema pelo qual esteja passando.

É importante não interferir e deixar que a criança conduza a história. Permita que ela exercite sua imaginação e expresse seus sentimentos como preferir. Não estipule papéis e siga o que for estabelecido pelo seu filho. Caso perceba algum problema, converse e sugira mudanças dentro do contexto. Aproveite essa proximidade! 😉

Share Button